Artigos

PARA APROFUNDAR O CONHECIMENTO

gallery/26-amazon-rex

Amazônia enfrenta pior onda de incêndios desde os últimos sete anos. O caso, comoveu o mundo inteiro! Os últimos dados atualizados, foram de 48.339 focos de queimadas por toda a floresta Amazônica. O número, é de quase o dobro comparado ao ano de 2018. A Agência Espacial Americana, NASA, afirmou que o ano de 2019, é o pior ano de queimadas na Amazônia, desde 2010.

 

Além da Amazônia, as queimadas também atingiram alguns países da América do Sul como, Argentina, Paraguai e Bolívia. Já os estados do Mato Grosso, São Paulo e Paraná, também estão sofrendo com os focos de incêndio.

Existem diversos boatos que percorrem o país, alegando que as queimadas são comuns nesta época do ano, por conta do tempo seco. E esse questionamento é correto, mas vale atentar que isso não quer dizer que a Amazônia fica seca ao ponto de incêndios começarem de forma espontânea. Talvez, isto poderia ocorrer se estivéssemos tratando de um cerrado, por exemplo. Ao contrário disto, estamos falando de uma floresta altamente úmida.

 

Resumidamente, podemos dizer que, de cada 100 incêndios que ocorrem na Amazônia, 99 deles foram causados pelo homem. De acordo com o INPE, (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), entre o mês de agosto de 2018, e julho de 2019, tivemos um alerta de 50% de desmatamento. Esses alertas, seriam organizados por fazendeiros do Sul do Pará, os danos do chamado "dia do fogo", que segundo eles, seria para mostrar trabalho ao Presidente da República, Jair Bolsonaro.

 

Após sobrevoar as áreas atingidas pelas queimadas no Mato Grosso, o próprio ministro do Ministério do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmou que os incêndios são de origem criminosa.

 

Vale ressaltar que, o código florestal libera sim queimadas em algumas situações específicas. Ou seja, existem alguns locais, onde se pode queimar legalmente, mas antes disto ocorrer, é necessário que o interessado compareça ao órgão ambiental e informe onde e quando pretende fazer a queimada, e assim, aguardar por uma autorização.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E porque algumas pessoas desejam realizar queimaduras?

 

Bom, os incêndios possuem somente dois objetivos. O primeiro, é usado para limpar uma área após a colheita, e o outro para desmatar uma área.

 

O primeiro deles, é necessário a ajuda de dois tratores, que são utilizados para derrubar árvores do local desejado. As árvores derrubadas, ficam um tempo secando até adentrar na estação de secas. Assim, perderá a umidade o suficiente para que seja possível colocar fogo nela. Após toda vegetação queimada, é possível plantar capins para os gados comerem.

 

O único problema que isto pode acarretar, é de essas áreas não desmatadas, caso não estejam secas, acabarem queimando também às florestas que estão vivas. E esse, é um dos principais tipos de queimadas que estamos vendo acontecer na Amazônia.

 

Entretanto, a principal parte do desmatamento, está vindo de incêndios criminosos. Perdemos quase 20% da floresta nos últimos 50 anos.

 

O assunto só viralizou após um levantamento realizado pelo INPE, alertando sobre um aumento de 88% no desmatamento. Os dados são de que, no mês de junho, ainda este ano, o registro foi de 920,4 km² de áreas desmatadas na floresta Amazônica. Tudo isso ocorreu em apenas 30 dias.

 

Comparado ao mês de julho de 2018, teremos um crescimento de 278% de desmatamento.

 

E qual a importância da Amazônia no Planeta Terra?

 

Muitos acreditam que a Amazônia é o pulmão do mundo. E é sim verídico de que ela produz uma quantidade imensa de oxigênio, porém, é a própria floresta que abriga a maior biodiversidade do planeta, e ela mesma consome esse oxigênio.

Na verdade, ao invés de dissermos que a Amazônia seria o pulmão do mundo, poderíamos dizer que ela é o umidificador do planeta.

 

Os ventos da região do equador, empurram a umidade do oceano para a floresta. Assim, as plantas utilizando dessa umidade, também devolvem cerca de 20 bilhões de toneladas de valor de água por dia para a atmosfera.

 

O maior dito problema disso tudo, seria os efeitos do aquecimento global. Como a Atlântica está cada vez mais quente, boa parte da umidade que vinha do equador, começa a adentrar em outros lugares, ao invés de ir para a Amazônia, e isso automaticamente deixa a floresta mais seca.

 

Às árvores tem a capacidade de reduzir os gases de efeito estufa por conta da fotossíntese, por isso, a floresta Amazônica, precisa ser preservada a todo custo para não agravar ainda mais o aquecimento global. Ao serem queimadas, é o mesmo de estarmos enviando para a atmosfera mais gás carbônico. Isso intensifica o aquecimento global. Como a Amazônia, é fundamental para regular a temperatura do planeta, isso se tornou um problema global.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como isso tudo afeta na Economia?

 

O caso da Amazônia, é um acontecimento que atingiu o mundo inteiro! E consequentemente, o Brasil ficou com uma imagem ruim lá fora!

 

Existe uma iniciativa que funciona da seguinte forma, uma empresa recebe uma multa ambiental, ela poderia ter um desconto da multa caso aplicasse o dinheiro em programas ambientais. Mais infelizmente, o ministro do Meio Ambiente, bloqueou o projeto alegando de que esse dinheiro não poderia ir para ONGS.

Da mesma forma, assim como a França, a Alemanha ofereceu uma ajuda para o Brasil, em incidência ao caso da Amazônia, porém, o Presidente da República, recusou a ajuda.  Assim como a Alemanha e a França, a Noruega também ofereceu ajuda, e a ajuda também foi recusada. O Presidente alegou que a Noruega não teria condições para ajudar o Brasil, sendo que, a Noruega possui 132 milhões do fundo da Amazônia.

 

 

Como a imagem do Brasil ficou de certa forma negativada lá fora, então começam a surgir questionamentos sobre a capacidade que o Governo brasileiro tem de conter esse tipo de crise.

As queimadas da floresta Amazônica, levantaram diversas críticas de países europeus, já que, havia sido firmado um acordo com o MercoSul e a União Européia, o que de fato, agrava bastante a situação do Brasil.

Com a Amazônia ardendo em chamas, levou com que o caso se espalhasse no mundo, e fez com que ONGS, e até celebridades, se manifestassem sobre o caso, pedindo a proteção e a ajuda em favor da floresta localizada no Norte do Brasil.

 

 

E não termina por aí, várias empresas decidiram repensar sobre as compras que eram realizadas no Brasil. A primeira empresa, foi a americana, VF Corporation, fabricante de calçados e acessórios em couro e dona de 18 marcas. A mesma, informou que não comprará mais matéria-prima no país, levantando questionamento sobre o meio ambiente.

 

 

Além dessas companhias, a Nestle, conhecida no mundo inteiro, também decidiu reavaliar as compras de carne e cacau de fornecedores brasileiros.

Fora essas companhias, a revista The Economist, escreveu uma matéria recentemente sobre o caso da Amazônia, propondo o boicote de países caso o Brasil não tome medidas eficazes de combate aos incêndios.

 

O caso da França, também é um fator a se colocar em pauta, já que a França, é o maior investidor externo do Brasil.

 

Enquanto as empresas não forem convencidas de que o país possui políticas eficazes no combate aos incêndios que estão ocorrendo na Amazônia, o Brasil infelizmente passará de mal para pior.

contato@corptrader.com.br

+ 55 61 3208-6395

Seg à Sex 08:00 às 18:00

Brasília - DF

PT

gallery/ativo 1@4x

ARTIGO - Corptrader

No que a amazônia está influenciando na economia do Brasil? - Entenda o caso

 

conteúdo exclusivo da CorpTrader

04 de setembro de 2019, por Tayssa Brito

gallery/adobestock_1694746492222
gallery/adobestock_169474274

Por daniel camargo

Podcast Diário